terça-feira, 26 de março de 2013

Castelo de vidro . . .





Muitas vezes na minha vida me pego perguntando PQ tudo é tão efémero.
Pq no final das contas é tudo um grande castelo de cristal... 
Muitos falaram é impressão ... ou o erro é seu... pois não se baseia em algo solido...
Quem fala isso é que não me conhece realmente... que não observa o que realmente sou ... 
O problema ( ou solução ) é que sigo a frente mesmo quando o castelo se rompe... se quebra..
Passo naquele meio cheio de cacos... e apenas continuo...
Antigamente era mais difícil admito ... cada corte doía... ardia... impedia de continuar 
Quanto mais me machucaram... quanto mais rasgaram minha pele ... mais duro ficava... 
Mais eu me perdia em um modo de defesa mas a casca externa crescia... 
Por fim... nada mais machucava ... como hj ... eu sigo... cortes existem mas não doem...
Cortes sangram ardem infeccionam ... mas não doí... 
É como um continuo e longo assobio incomodo na cabeça... que nunca para...
Luto como sempre lutei... Continuo apertando o foda-se para viver... 
MAS NÃO ENTENDO... o pq as pessoas tem que se machucar tanto... 
Pq fazer a vida tão simples... em algo cheios de cacos... cantos vivos... dores NÃO NECESSÁRIAS
Pra que serve algo que te faz bem se esta longe???? 
E se não pode ter ... então pq te faz mal... afinal não é pra ter... 
Cada vez mais penso que não sirvo para ser um bom moço... 
Pois cada ano da minha vida... apenas me torna mais o que sempre odiei ...
Repudiei... um monstro ... que cada vez mais gosto do final... 
Pois não há dor... não há tristeza... não há problemas... 
Foda-se os problemas ... Foda-se as dificuldades... 
Eu tenho uma facilidade com tudo... infelizmente parece que o tudo exclui o maldito castelo de vidro
Mas cansei de socar ponta de faca... De sentir a pele rasgar...
Do sangue escorrer e músculos latejarem e não ser nada... 
afinal ... o que realmente doí é a mente... 
Do que serve tudo isso ?
Não sei ... realmente não sei... 
Afinal a pele já esta sem nenhuma sensibilidade ... 
A mente vai a frente... o corpo segue... 
Mas já cansado de ver castelos romperem... 
É mais simples não ter mais castelos... 
ser um monstro errante ... perdido lá e cá... 
Ser sozinho ao ponto de apenas continuar ...
Ter as felicidades em um limite pequeno .. . medíocre... 
Mas é isso... ser o que é... um monstro... 
um nada ... apenas uma sombra efêmera que desaparece sem importância...
e cada vez mais perdido ... 
em caminhos que ninguém tem coragem de seguir... 
Agora eu quebro os castelos... não os dos outros... mas sim os meus... 

Não quero opnioes... não quero achismos... não quer pre julgamentos 
Cansei de ser julgado mesmo quando não faço nada...
Cansei de olharem pra mim com uma visão do passado ... esquecendo que eu mudo
Cansei de ser bom e justo... e mesmo assim os louros serem ofertado a outros
Cansei realmente de uma vida medíocre... 
Cansei da mente sempre pinçar as falhas... esfregar da maneira mais vil e pervertida...

Cansei ... agora é cinza... agora é um equilíbrio...  o justo .. para mim . 

Tão de saco cheio de gente falsa... incompleta... que julga que sabe da verdade e não são nada
Gente que ao menos tenta entender... gente que chafurda em merda e se julga melhor
Gente que é muito menos ... e aproveita as feridas pra se achar mais ... 
Gente que confunde carinho com desejo... respeito com querer ... 
triste... amargo... cinza... quebrado 

Um comentário:

  1. Texto intenso e sofrido.
    Animo, meu amigo...a vida vale o esforço

    ResponderExcluir